Razões para não desistir dos seus planos de estudar no exterior mesmo com a crise financeira no Brasil

Olá pessoal,

Pedi para a minha amiga e colega de profissão, Dra. Jane Kelli Aparecido, escrever um post sobre a experiência dela como estudante de direito nos EUA.  A Jane possui todas as características necessárias para uma carreira de sucesso: ética de trabalho impecável, disciplina, determinação, e muita garra.  Atualmente ela está estudando para o Bar de NY.  Podem fazer perguntas, mas não garantimos respostas rápidas porque queremos que ela se concentre 100% no Bar, Ok? 🙂

A experiência da Jane foi muito diferente da minha.  Eu sou residente permanente e financiei meus estudos com empréstimos.  A Jane não é residente, e toda a carreira de estudos dela foi financiada através de bolsas.  Que maravilha não!!?  $0 de dívida e muitos aprendizados!  Tanto eu como a Jane fazemos parte da classe trabalhadora no Brasil.  Pagamos nossas contas com nosso trabalho e tudo o que conquistamos foi sempre com muito suor.  Então não pense que estudar nos EUA é só para quem tem mamãe e papai bancando 😉

Segue o que ela escreveu.

Pretendo focar este texto em estudos nos Estados Unidos porque estou em Columbus, Ohio, há pouco mais de um ano e passei pela fase de buscar formas de financiar meus estudos, moradia e demais gastos aqui. Contudo, mesmo que você pretenda estudar em outros países, algumas dicas deste texto podem ser úteis.

Muitos brasileiros não se deixaram abalar pela alta do dólar e estão aproveitando as passagens mais baratas e as promoções que combinam passagem e cursos. Três amigos meus, que nunca haviam viajado para o exterior, aproveitaram o momento para fazer cursos de idiomas e, outros dois, que sempre viajam, investiram em um novo plano de ferias.

Contudo, a dúvida maior é em relação a cursos de longa duração como os cursos de graduação que têm matrícula muito mais alta e trazem gastos maiores com estadia. As dicas que posso dar em relação a gastos com passagem, curso e estadia são as seguintes:

Passagem:

Como dito acima, este é um bom momento para aproveitar as promoções de agências de viagem e sites de busca. As passagens estão quase pela metade do preço que estavam antes da crise.

Matrícula e curso

Aposte em bolsas de estudo do exterior que já são em dólar. Se for fazer empréstimos faça-os no Brasil, em reais, ou procure empréstimos estudantis que não cobram juros (incluí uma lista de organizações com programas de bolsas e empréstimos ao final do texto).

Uma vez que todas as universidades dos Estados Unidos são pagas (mesmo as públicas) praticamente todas elas têm programas próprios de bolsas de estudos. Leve isso em consideração quando começar a se candidatar. Faculdades públicas costumam ser menos caras, mas têm programas de bolsas menores, todavia; é preciso levar em consideração também o custo de vida na cidade onde a faculdade está localizada, pois isso pode mudar a balança em relação às vantagens da faculdades públicas e privadas.

Além das bolsas das próprias faculdades, existe um grande número de organizações com bolsas de estudo para estrangeiros. Essas organizações têm intenções parecidas com as do programa do governo brasileiro, Ciências Sem Fronteiras, pois querem que pessoas possam estudar no exterior e, depois, voltar a seus países para aplicar ideias novas, com um ponto de vista mais global.

Quando fui admitida em faculdades americanas e percebi que não conseguiria comprovar a quantidade de fundos exigidos para o curso de mestrado em Direito Internacional, a faculdade que escolhi adiou minha matrícula para que eu pudesse procurar formas de complementar a bolsa que eles haviam me oferecido. Pesquisei muito e me candidatei a uma variedade de organizações tanto no Brasil como nos Estados Unidos.

Estadia

Para ajudar a diminuir seus gastos nos Estados Unidos (e eventuais dívida com empréstimos) procure um emprego no campus da faculdade, pois com visto de estudante você pode trabalhar até vinte horas por semana em bibliotecas, recepções, como assistente de pesquisa, enfim, existe uma variedade de opções que podem não ser exatamente na sua área, mas podem te ajudar financeiramente. Esses trabalhos no campus também servem para que você conheça pessoas, se insira na comunidade e pratique sua flexibilidade com o idioma. A maior parte das vagas pode ser encontrada no site das faculdades.

Quando cheguei aos Estados Unidos para meu curso, eu já tinha uma entrevista marcada, pois havia entrado em contato com o departamento de recursos humanos da faculdade enquanto ainda estava no Brasil.

Outra dica é dividir um apartamento com outros estudantes em situação parecida com a sua (você sabia que um dólar é igual a mais de seis yuan chineses e até sessenta rupias indianas?). Além de diminuir drasticamente despesas com aluguel, energia, Internet etc, isso também ajuda a conhecer pessoas e culturas diversas e, com certeza, vai fazer sua experiência muito mais global do que você imaginava.

Depois de formados, alunos estrangeiros podem estender o visto de estudante por um ano para o OPT (Optional Practical Training). Esse período serve para que você coloque o que aprendeu em pratica por meio de estágios, por exemplo. Alguns estágios são remunerados e, mais uma vez, podem ser uma forma de ajudar a diminuir suas dívidas no Brasil.

Nesse momento, sua preocupação com a alta do dólar se inverte. O fato de o dólar estar tão alto em relação ao real pode ser algo a seu favor. Imagine que você consiga um estágio e que também consiga poupar um pouco; de volta ao Brasil, aquele dinheiro que você economizou nos Estados Unidos pode se tornar quatro vezes maior em reais e, portanto, ser bem mais eficiente para quitar suas dívidas.

Ainda, qualquer imposto que tenha sido descontado de seus pagamentos nos Estados Unidos, enquanto você trabalhava, tanto no campus quanto pelo OPT, será devolvido posteriormente, ou seja, mais alguns dólares que se transformarão em uma quantidade razoável de reais.

A maioria de meus colegas e eu conseguimos estágios ou empregos um pouco antes ou logo depois da formatura, tanto por meio de eventos de ‘networking’ e ‘career services’ da faculdade, quanto pela indicação de colegas de classe e amigos ou depois de muita pesquisa e várias candidaturas.

Claro que a situação financeira mundial é imprevisível e, de repente, tudo pode mudar. Antes de investimentos como esse é necessário fazer uma análise séria do que você quer para o futuro e quanto você está disposto a arriscar. Esse texto serve para mostrar que, como reza um ditado americano, ‘não se deve desperdiçar uma boa crise’ e todas as oportunidades que se abrem com ela.

Afinal, se diferenciar no mercado de trabalho, especialmente em um momento de crise, pode ser uma ótima escolha. E, claro, para aqueles que têm o sonho de conseguir um visto de trabalho ou até mesmo o famoso ‘green card’, para ficar de vez nos Estados Unidos, uma graduação e um estágio podem ser um bom começo.

* LL.M em Direito Internacional e Comparado pela Ohio State University – Moritz College of Law. Fellow da American Association of University Women & awardee da Scholarship for the Americas da Moritz School of Law.

* Bolsas no Brasil:

  1. Fundação Estudar: https://www.estudar.org.br/
  2. Organização dos Estados Americanos (também oferecem empréstimos): https://www.oas.org/pt/topicos/bolsas_estudo.asp
  3. Instituto Ling (direito): http://www.institutoling.org.br/index.php/mestrado-e-pos-graduacao/direito
  4. Rotary: https://www.rotary.org/myrotary/en/take-action/apply-grants

Bolsas nos Estados Unidos:

  1. American Association of University Women: http://www.aauw.org/what-we-do/educational-funding-and-awards/
  2. Philantropic Education Organization: http://www.peointernational.org/about-peo-international-peace-scholarship-ips
  3. Institute for Humane Studies: https://theihs.org/funding/humane-studies-fellowship/

Sites de pesquisa por bolsas de estudos:

  1. Schoolly: http://home.myscholly.com/
  2. Funding US Study: http://www.fundingusstudy.org/StateSearch.asp

 

 

Anúncios

Sobre Kessia Cericola

Sou advogada no Brasil e nos EUA. Moro em Columbus, OH há 6 anos.
Esse post foi publicado em Direito, Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Razões para não desistir dos seus planos de estudar no exterior mesmo com a crise financeira no Brasil

  1. Carla disse:

    Parabéns Jane, você sempre surpreendendo!
    Você é base pra muitos, te admiro demais. Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s